Solteira sim, sozinha principalmente

deAndo com a sensação de que meu mundo tem girado mais devagar. O ano está correndo bem rápido, mas o tempo, com sua encantadora relatividade, tem passado preguiçoso. E logo eu, sempre tão intensa, me sinto assistindo um pouco o universo alheio, sem que isso me faça sentir que estou apenas vendo a vida passar — muito pelo contrário, acho que nunca me senti tão minha e de mais ninguém. Daqui da plateia tenho achado divertido as novidades amorosas das amigas: O que eu respondo na mensagem? Aaaaai, ele não me ligou! Homem é tudo igual! Que roupa eu visto? Não, infelizmente ainda não deixei de ser uma simples mortal e estou imune a essas bobagens de menina que toda mulher carrega dentro de si, mas meu status do momento não é solteira, é sozinha.

Essa solidão, porém, não é daquelas de chorar de soluçar ou cortar os pulsos. É uma solidão amiga e doce, por pura opção. Gosto das muitas ideias que ele tem sobre a vida, do quão maluco é e do jeito quase urgente que me abraça e me sente. Gosto do quanto é simples e de como me traz leveza, mas o momento me faz gostar mais ainda da liberdade que sinto voando na lira e me enrolando na maciez do tecido. Nada tem me dado mais prazer do que sonhar em ser acrobata. Acho aquele outro encantador e pensei esses dias que “seus olhos morenos me metem mais medo que um raio de sol“, mas me falta tempo, já estou flertando com Valter Hugo Mãe, Leminski e Rubem Alves. Ainda penso nele, mas não sinto mais vontade de enviar cartas, só de passar horas escrevendo no meu diário, conversando comigo mesma. Gosto da amizade retomada e de descobrir que o carinho não foi perdido, mas prefiro os cafés em dias frios e as noites vendo estrelas.

Estar solteira não foi uma opção, mas o que veio depois, o estar sozinha, sim. E quer saber? Estou me apaixonando muito por mim. Me conquisto um pouco mais cada vez que me pego rindo sozinha porque enquanto treinava malabares a bolinha caiu no meu olho. Fiquei muito atraída pela garota descabelada que vi no espelho: já nos conhecemos há tanto, como nunca reparei no quanto acho sexy as muitas tatuagens dela? Precisei me atentar um pouco mais pra perceber que completam perfeitamente sua felicidade de criança. Talvez esse meu novo amor seja um pouco louco, mas o que posso fazer se ela me prende completamente quando não quer dormir para aproveitar o nascer do Sol vendo bugios? Suas irmãs são maravilhosas, não tem como não sentir vontade de ficar pro almoço. Acho encantador o jeito que ela tenta aprender a tocar violão, totalmente concentrada, ainda que na verdade o que ela queria mesmo era tocar baixo. Essa menina sempre esteve aqui, dentro de mim, o tempo todo, mas nunca reparei nela porque estava entretida demais olhando para fora. Agora que eu a (re) conheci, peço que me perdoem por estar tão ausente, mas estou presa num lindo redemoinho interno, do qual não quero sair, me perdendo em sonhos, descobertas, cores e risadas.

Curtiu? Então curta também a página do blog no Facebook: PensamentosDeOvelha

Anúncios
Esse post foi publicado em Amor, Comportamento. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Solteira sim, sozinha principalmente

  1. sato disse:

    Você está descobrindo uma pessoa incrível que muitos de nós (seus amigos) já conhecemos. Aproveite bem, posso lhe garantir que vale a pena.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s