O pior dia da minha vida

Aconteceu muito de repente. Era uma terça-feira chuvosa, creio que aproximadamente três da manhã. Eu sempre fui um cara do tipo normal, pacato, daqueles que nunca tiveram nada de muito emocionante para contar. Jamais fui supersticioso ou acreditei em destino, mas naquela tarde realmente senti que algo não ia bem: estava agitado e tive um pouco de insônia.

Acordei sobressaltado um pouco depois de pegar no sono, ouvindo vozes estranhas. Sem coragem de abrir os olhos, tentei reconhecer os sons, mas não podia compreender nada – talvez fossem estrangeiros. Nunca quis tanto estar sonhando. Minha casa sempre foi muito bem protegida e fechada, não seria possível invadi-la. Permaneci em silêncio, imóvel, tenso. Os homens falavam sem parar e pareciam um pouco nervosos. A sensação que eu tinha era de sufocamento e completo pavor. O som foi ficando cada vez mais alto e próximo de mim, mas o que eu mais temia é que eles encontrassem minha mãe, ela sempre foi tudo para mim.

Como se meus piores pesadelos estivessem se realizando, eu ouvi barulhos de metais (estariam armados?), seguidos de um grito feminino. Minha mãe! Não, ela não!!! Reuni todas minhas forças e decidi encarar o perigo, independente do que fosse. Então tudo ficou confuso, até agora não entendi bem o que aconteceu, mas tive a impressão de estar sendo sugado para outra dimensão. Quando dei por mim eles já haviam me encontrado e me seguravam com força. O excesso de luz queimava meus olhos e não me deixava ver o rosto daqueles monstros. Senti meu corpo ensanguentado e tive dificuldade para respirar. Não gosto de bancar o covarde, mas estava com tanto medo que chorei. E sadicamente eles sorriram. Sorriram das minhas lágrimas de pavor. Foi quando senti um odor familar: o cheirinho da minha mãe. Talvez arrependidos, ou quem sabe com dó de mim, eles me colocaram nos braços dela. Então, exausta, ela sorriu e me beijou. E foi assim que vim ao mundo.

Os adultos dizem não recordar desse momento, mas estou certo de que nunca superarei esse trauma. Ainda assim, por via das dúvidas, deixo aqui o registro do pior dia minha vida: o dia em que nasci.

Ass.: John, 1 dia e 3h de vida.

Curtiu? Então curta também a página do blog no Facebook: PensamentosDeOvelha

Anúncios
Esse post foi publicado em Crônica. Bookmark o link permanente.

6 respostas para O pior dia da minha vida

  1. Olyvia Character disse:

    Muito Bom cara! No início achei que era um assalto, rsrsrs
    Abraço!

  2. Lindo texto. Final fantástico. Simplesmente amei.

  3. Dede disse:

    Muito bom! Valeu!

  4. Valentine disse:

    inesperado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s